Compare desempenho dos portos brasileiros em relação ao mundo no ranking CPPI 2020

Nossa newsletter está no ar! Inscreva-se e garanta que nenhuma informação omita sua caixa de entrada.

Salvador é o destaque brasileiro no CPPI 2020 – Foto: Divulgação / Wilson, Sons


Um artigo publicado no site Modais em Foco me chamou a atenção para a existência de um ranking que eu ainda não conhecia: o Global Container Port Performance Index (CPPI), ou, em tradução bem livre, “Índice Global do Desempenho dos Portos de Containers”. Os principais portos brasileiros estão na lista, com destaque para Salvador e Rio Grande. Mais abaixo, detalhamos quais foram os rankeados.

Desenvolvido pela consultoria inglesa IHS Markit em parceria com o Banco Mundial, o ranking mede a eficiência das escalas de navios nos terminais portuários de todo o mundo, em quesitos relacionados principalmente à eficiência das escalas: o tamanho dos navios, o tempo de espera em ancoradouro até a abertura da janela, o tempo de operação, a quantidade de TEUs movimentados em cada escala… são muitos detalhes, e eles podem ser verificados na íntegra aqui.

Vasculhamos o site da empresa e descobrimos que apenas uma edição do ranking foi elaborada até o momento: publicada em maio do ano passado, o primeiro CPPI é um relatório de 114 páginas calculado a partir dos desempenhos registrados até junho de 2020 por 351 portos de todo o mundo.

Ou seja: nem as informações são novas, e nem o ranking é uma novidade, já que ele foi publicado há quase um ano. Mas é interessante verificar como os portos brasileiros desempenharam em relação ao mundo justamente em 2020 – o ano em que a pandemia chegou e causou um impacto enorme nas cadeias logísticas de todo o mundo.

Notar que, no CPPI, há dois rankings distintos: o primeiro segue uma abordagem estatística (em que os números são calculados a partir de cálculos estatísticos complexos); o segundo segue uma abordagem administrativa (que, pelo entendi, considera pesos diferentes em função dos tamanhos dos navios, da quantidade de TEUs movimentados em média, da quantidade de escalas…).

Essas abordagens diferentes existem porque não é tarefa simples comparar a eficiência de um porto gigante que movimenta milhares de TEUs por mês com a de um terminal pequeno que opere apenas com navios feeders em águas fluviais. Realmente, recomendo olhar o relatório para entender melhor a metodologia, se você gosta desse tipo de detalhe.

Portos brasileiros* no CPPI 2020 – Abordagem estatística

O número à esquerda é a posição do porto no ranking global

  • 43) Salvador
  • 59) Pecém
  • 69) Itapoá
  • 70) Santos
  • 73) Sepetiba
  • 74) Rio Grande
  • 81) Suape
  • 183) Vila do Conde e Vitória (empatados, com o mesmo número de pontos)
  • 199) Rio de Janeiro
  • 252) Paranaguá
  • 269) Manaus
  • 308) Itajaí

Portos brasileiros* no CPPI 2020 – Abordagem administrativa

O número à esquerda é a posição do porto no ranking global

  • 47) Rio Grande
  • 55) Salvador
  • 72) Santos
  • 84) Sepetiba
  • 86) Pecém
  • 88) Itapoá
  • 105) Itajaí
  • 107) Paranaguá
  • 130) Suape
  • 218) Vitória
  • 241) Vila do Conde
  • 270) Manaus
  • 309) Rio de Janeiro

É possível notar algumas discrepâncias grandes, como no caso de Paranaguá (em 252º lugar em uma lista e 107º na outra) e Itajaí (308º em uma e 105º na outra). O próprio relatório reconhece essas divergências e diz que prefere deixar que “os números falem por si só”.

(Falando em Itajaí, por não mencionar Navegantes, imagino que o relatório esteja considerando os dois vizinhos como um só porto.)

*O porto de Fortaleza foi omitido do CPPI 2020 (junto a outros 77 portos do resto do mundo) por não ter atingido uma quantidade mínima de escalas nas especificações exigidas para entrar no ranking.

Para efeitos de comparação dos portos brasileiros aos demais, segue abaixo alguns portos de renome internacional e as suas classificações nos dois rankings:

EstatísticoAdministrativo
Hong Kong 77
Shekou (China)95
Singapura1512
Ningbo (China)2413
Bremerhaven (Alemanha)4185
Mundra (Índia)5044
Shanghai (China)6349
Antuérpia (Bélgica)8665
Rotterdam (Holanda)11690
Los Angeles (EUA)328337

Por fim, segue o top 10 global em cada categoria:

Top 10 CPPI 2020 – Abordagem estatística

  • 1) Yokohama (Japão)
  • 2) King Abdullah (Arábia Saudita)
  • 3) Chiwan (China)
  • 4) Guangzhou (China)
  • 5) Kaohsiung (Taiwan)
  • 6) Salalah (Oman)
  • 7) Hong Kong
  • 8) Qingdao (China)
  • 9) Shekou (China)
  • 10) Algeciras (Espanha)

Top 10 CPPI 2020 – Abordagem administrativa

  • 1) Yokohama (Japão)
  • 2) King Abdullah (Arábia Saudita)
  • 3) Qingdao (China)
  • 4) Kaohsiung (Taiwan)
  • 5) Shekou (China)
  • 6) Guangzhou (China)
  • 7) Hong Kong
  • 8) Zhoushan (China)
  • 9) Salalah (Oman)
  • 10) Yangshan (China)

Novamente, ressaltamos que os dados são referentes aos seis primeiros meses de 2020, e que mais detalhes sobre a metodologia da pesquisa podem ser encontrados no próprio relatório – que pode ser baixado gratuitamente no site da IHS Markit mediante o preenchimento de um cadastro.

Já estamos aguardando a publicação do CPPI 2021 para continuar acompanhando o desempenho dos portos brasileiros!

Siga O Container Diário no LinkedIn ou no Instagram. Ou nos dois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s