Novo indicador da K+N mostra gravidade dos congestionamentos nos maiores portos

Foto: George E. Koronaios / Wikimedia Commons


A Kuehne+Nagel, uma das maiores empresas globais de logística, lançou um novo indicador para avaliar os congestionamentos e o tempo de espera dos navios nos principais portos do mundo.

De acordo com um comunicado oficial divulgado na última quinta-feira (20), o Seaexplorer disruption indicator – “Indicador de disrupção do Seaexplorer”, em tradução livre – é um medidor que acumula a quantidade de dias que um navio aguarda antes de atracar e multiplica pela quantidade de TEUs.

Em inglês, o indicador se chama TEU waiting days – e este jornalista está humildemente traduzindo o nome da medida para “dias de espera-TEU“.

Funciona assim: um navio com 10.000 TEUs de capacidade que fica ancorado por doze dias esperando janela para atracar implica em 120.000 dias de espera-TEU (pois 10.000 x 12 = 120.000).

Da mesma forma, um navio de 5.000 TEUs que aguarde 10 dias para atracar implica em 50.000 dias de espera-TEU (5.000 x 10 = 50.000).

Ao somar esses dois navios, o indicador final para esse exemplo seria de 170.000 dias de espera-TEU.

(Não sabe o que é TEU? Vem aqui, que a gente explica)

No comunicado, a Kuehne+Nagel considerou nove dos principais complexos portuários do mundo (confira a lista no final do post) e chegou a um resultado final de 11,56 milhões de dias-TEU – quando o normal para esses portos deveria ser de um milhão de dias-TEU, segundo a própria empresa.

Evolução do indicador de dias de espera-TEU desde dezembro, em milhões


“As informações fornecidas por esse indicador dão aos nossos clientes a capacidade de prever o futuro e planejar os impactos em suas cadeias de suprimentos, além de identificar a melhor forma de agir”, disse, no comunicado, Otto Schacht, membro do conselho de administração da companhia.

Já em sua conta pessoal no LinkedIn, Otto explicou que os clientes pediam por um indicador que fosse mais claro e relevante do que apenas a quantidade de navios em espera aguardando janela.

“Navios porta-containers não deveriam ficar nenhum tempo parados. No máximo um ou dois dias. Quando o indicador ficar abaixo de um milhão de dias-TEU, nós podemos começar a conversar sobre a situação voltando ao normal”, escreveu o executivo.

Os nove portos analisados para o indicador, segundo a empresa, são os maiores gargalos para o escoamento de cargas containerizadas:

  • Prince Rupert (Canadá, costa oeste)
  • Vancouver/Seattle (Canadá/EUA, costa oeste)
  • Oakland (EUA, costa oeste)
  • Los Angeles/Long Beach (EUA, costa oeste)
  • New York (EUA, costa leste)
  • Savannah (EUA, costa leste)
  • Hong Kong (sudeste asiático)
  • Shanghai/Ningbo (leste da China)
  • Rotterdam/Antuérpia (Holanda e Bélgica, norte da Europa)


Fontes: Kuehne+Nagel, Splash247

***A seguir, confira nosso especial: O que é o Ano Novo Chinês? E por que vai ser mais difícil em 2022?***

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s