Fretes não voltam ao normal antes de 2023, segundo agência

Foto: Pixabay


Na última terça-feira (16), a Sea-Intelligence, uma agência de consultoria especializada em transporte marítimo internacional, informou que deve levar ainda entre 18 e 30 meses até que os fretes voltem a um patamar “normal”.

Ou seja, na mais otimista das hipóteses, os preços só voltariam ao normal em meados de 2023.

Isso, claro, se a história recente puder ser utilizada como uma fonte confiável de cálculo.

Para chegar a esse resultado, a agência estudou os níveis pré-pandêmicos do CCFI (China Containerized Freight Index, índice baseado nos fretes de 12 rotas internacionais) desde 1998.

Foram identificados cinco períodos em que o frete teve quedas prolongadas (marcados abaixo em vermelho) e cinco períodos de aumentos sucessivos (em verde).

Reprodução / Sea-Intelligence

Considerando esses períodos, a Sea-Intelligence encontrou médias de queda semanal variando entre -0,4% e -0,9%. Essa queda maior aconteceu durante a crise financeira global de 2008-2009.

No ritmo de -0,9% por semana, demoraria cerca de 18 meses para que os fretes retornassem aos níveis pré-pandêmicos. No entanto, a crise do fim da década retrasada foi um cenário bastante atípico para ser algo no qual se basear.

Se o cálculo considerar as médias de queda apresentadas em conjunto nesses cinco períodos de recuo mostrados em vermelho no gráfico, levaria cerca de 26 meses para que os fretes voltassem a algo próximo do normal.

Porém vale ressaltar que o pico de preços registrado atualmente é muito maior do que já registrado anteriormente, e que ele vem depois de uma série muito longa de aumentos. Levando também em conta a força dessa última longa subida, a agência calcula cerca de 30 meses para o retorno à normalidade.

Essa tal normalidade para o CCFI, segundo a agência, seria um índice com frete próximo ao nível 1000, considerando também a média histórica.

Confira o site da Sea-Intelligence para mais detalhes. E cante com a gente, ao som de Só Pra Contrariar: “Como é que eu voltar pra essa normalidade???”


Fontes: Sea-Intelligence, Lloyd’s Loading List, Container News